Menu e Textos Alma das Flores
Banner

Cadastre-se e receba newsletter

    

 

 

Num determinado momento do aqui e agora: a distinção entre o existente na nossa realidade; o possível de existir, caso se faça isto ou aquilo outro; e o inexistente. Saudável percepção, sem ilusões, inverdades e sofrimentos vãos. Uma verdade existencial: a realidade é mutável, impermanente, e depende de inúmeros fatores. O que não pode faltar em um caminho escolhido: amor e amor próprio.

 

  
 


 

 

 

Resoluções e Grau de Consciência

 

 

 
 
 
 
 
Rosana Uchôa
03/02/2014
 
 
A necessidade e a vontade de superar desafios saudáveis e problemas circunstanciais aflitivos podem vir a estimular a consciência, quando se permite um olhar diferenciado e complementar. Até determinado momento experimentamos a consciência segundo uma ordem que enfatiza aspectos perspectivos de observação, regulada por condicionamento individual, familiar, sócio-cultural, espiritual e kármico.

Sim, não é necessariamente preciso negar, eliminar ou mudar de consciência, quando se inclui algo a mais na consciência já existente. Isso pode significar ótimo alívio, em algumas ocasiões: o se permitir sem se negar e nem a outros, sem feridas por medo advindas da autoproteção e, por conseguinte, da ativação dos mecanismos de segurança já conhecidos, com a mesma proporção do permitir responsável. A paz dos pensamentos e das escolhas individuais é um espaço interior onde não há interferências, porque basicamente se colabora, acrescenta, coopera, sem diminuir nada e nem ninguém, e também não há nada perdido, mesmo quando haja transformação. A mente de um ser intacto que interage quando resolve interagir, ou não. Pessoas têm muito medo disso hoje em dia e por vezes exageram a respeito de um risco não calculado, além da medida da sensatez, sempre necessária. Por outro lado, o que pode ser bom para um eu, pode não ser bom para uma pessoa com sua trajetória e característica; reconhecer isso faz parte de um aprendizado sincero. O espaço de paz, equilíbrio e harmonia existe dentro da gente, na nossa mente e no coração. Estar consciente, procurando a clareza, o entendimento, sem dúvida a lucidez, e a gratidão pelas novas descobertas melhora a percepção de um ponto qualquer escolhido para ser pensado e administrado, e pode vir a melhorar a forma como, de modo geral, nos relacionamos com pessoas que são elas mesmas por elas próprias.

“Não há despertar de consciência sem dor” (Jung). Ele completa mais ou menos assim: Por causa da dor, evitamos – e também evitam - enfrentar a própria alma.

Luz e Sombra,
Sombra e Luz
Coragem de ser feliz
Amando ao próximo
Tal como a si mesmo
Sem esperar nenhum resultado dos bons atos
Mantendo a autoestima
Na capacidade de transformar-se com Amor
Toda aquela força que puder existir.

"Quem olha para fora, sonha;
Quem olha para dentro, desperta". (Carl Gustav Jung)
 

 

 

 

planetafuturo © Copyright 2000