Menu e Textos Alma das Flores
Banner

Cadastre-se e receba newsletter

    

 

 

Num determinado momento do aqui e agora: a distinção entre o existente na nossa realidade; o possível de existir, caso se faça isto ou aquilo outro; e o inexistente. Saudável percepção, sem ilusões, inverdades e sofrimentos vãos. Uma verdade existencial: a realidade é mutável, impermanente, e depende de inúmeros fatores. O que não pode faltar em um caminho escolhido: amor e amor próprio.

 

  
 


 

 

 

Essência Viva!

 

 

 

Essência Viva! 

Rosana Uchôa

14/02/2013

 

Água-viva rosada

Tanto os indivíduos quanto o mundo estão passando por rápidas mudanças e transformações. As nossas atualizações, internas e externas, são cada vez mais necessárias, sejam técnicas, científicas e tecnológicas, psíquicas, informativas, ativas e interativas, simultaneamente. As possibilidades e alternativas viáveis estão sendo alteradas e em processo de desenvolvimento. Os intercâmbios aproximam e ao mesmo tempo desafiam o nosso nível de compreensão, grau de aprendizado, e a capacidade para se relacionar de um modo dinâmico, considerando a  realidade individual, seja qual for a atual, mantendo a própria essência viva. É bom. A alegria e a motivação de compartilhar e interagir o bom. Suave e terno, mesmo quando em tantos lugares há certamente conflitos caóticos, pesados, quase insolúveis pela violência e a dor passada sem esquecimento, superação ou perdão.  Os nós das guerras.

Sempre é possível melhorar, ir adiante, aceitar novos parâmetros, e iluminar sombras ocultas e não aceitas de si, pela condição humana apropriada, realçada e ao mesmo tempo aceita, recebendo as dádivas generosas dos céus e dos seres, fontes águas da vida cristalina, sem as cobranças do stress, punições, repressões e culpas, ou das comparações inúteis tão comuns. Dentro de certos parâmetros não ingênuos e tolos, confiar nas pessoas e valorizá-las é sinal claro de autoconfiança, de autovalorização e de autorespeito, sem necessidade nenhuma de disputas entre melhores (ou piores), competentes e incompetentes, ou, por um outro lado, de fazer média com ninguém.  Dizer por dizer nem pensar. Atitudes negativas que de modo sistemático desvalorizam insistentemente ou reprimem o potencial manifestado e latente das pessoas merecem hoje em dia, por parte de qualquer ser consciente, inteligente, lúcido, bom, atualizado, dinâmico, moderno, uma análise cuidadosa, além de sintonia com Deus à própria maneira. Ninguém precisa diminuir ninguém para numa ilusão talvez se perceber maior e qualitativamente melhor, travando por conta própria uma das engrenagens do mundo. Quando tais fatos, infelizmente tão comuns e notórios, acontecem com um grande número de pessoas que já conheci por intermédio de amizade e consultas, fatos estes conhecidos na pele há anos por tanta gente, não se age de forma produtiva e nem pode ser considerado feliz, porque geralmente tal comportamento resistente às auto-transformações necessárias está baseado em vãs comparações (profissionais e/ou psíquicas e até espirituais), e também em vãs conquistas: as vãs imagens que se quer atribuir a si para ter o que receber por intermédio de pequenas ou grandes implicâncias, veladas ou declaradas, com alguém. Carência... Pior jogo consiste na ilusória crença da seguinte filosofia: ‘As cadeiras competitivas selvagens’. Toca a música e quando o som pára, a pessoa que sobrou do corre-corre sai: “Não há lugar para todos, empurro eu você”. Isso ainda existe bastante em tantos lugares, mas graças a Deus não corresponde a uma verdade espiritual dos mundos felizes e prósperos não. Só é considerada uma pseudo-verdade, quando na mente ilusória se privilegia a miséria.  

São Francisco cantou:  "É dando que se recebe", ou seja, servindo aos seres, amando, sem duvidar da capacidade nata para o amor (atos de entrega), ao invés de preferir duvidar, por conseguinte, da capacidade amorosa alheia, que lá bem no fundo do fundo do próprio poço rejeitado e confuso incomoda pela simples existência dos atos de respiração para se sobreviver.  Nessas horas da cruz, pessoas por aí podem taxar a gente de todo tipo de não amor, porém com mil e um atributos e características marcantes determinadas: dominós mentalmente dependentes uns dos outros caindo em fileira, um seguido ao outro, por causa do que foi dito ou feito por alguém antes. Jesus salva! Só Ele salva! Se for o caso, pegue a cruz daqui para frente e segue o Homem: o Cristo Redentor de braços abertos lá em cima para todos nós! Em outras palavras: projeções cegas adoidadas por aí. O brilho no olhar é para se refletir a força do bem nato. As pessoas, homens e mulheres, na verdade são mais carentes do que consideram admitir, e, por carência, um dia literalmente matamos Jesus Cristo. Até hoje pensam nesta possibilidade, e nunca podemos nos esquecer desta ainda mentira deste mundo atual.  

A auto-aceitação da íntegra pode ser complicada para todos aqueles que se consideram tão bem sucedidos, pois já se resolveram e, em outras palavras, são (ou não são), portanto, bem resolvidos num determinado patamar do ‘cheguei aqui definitivo e perene’, num mundo impermanente por natureza, porque fiz isso e aquilo para hoje ter: auto-estima, amor próprio, aceitação e valorização social, dinheiro, posses, liberdade pessoal, conquistas e principalmente, neste caso específico, a grande vontade de ser uma pessoa amada. Decididamente não somos o que acumulamos ao redor de nós mesmos para nosso bem-estar transitório ou durável, até porque não somos bens de consumo nem nossos e nem de ninguém. Frase psico-econômica (risos). Esta característica existe em mulheres e em homens. Mulheres também. A fragilidade, a sensibilidade positiva e negativa, e a vulnerabilidade, às vezes, nem sempre, incomodam. Não é atributo nem feminino e nem masculino. Pensar... E amar... Sem projeções de espelhos. 

Trabalhei  bem a raiva por longo tempo, anos, e colhi bons e até ótimos frutos e mais frutos da superação pela concentração da devida atenção no tema. Já ocorreram oportunidades de se constatar. Processos longos internos continuam para serem burilados: mudam de nível. Agora trabalho outro ponto significativo e necessário neste momento. E assim, sem que ninguém necessariamente saiba, em silêncio e autorespeito, podemos escolher sempre algum ponto prioritário para ser trabalhado porque se quer por livre vontade, e inclusive se quer independente de outras pessoas, se for o caso, mas considerando sempre a felicidade de todos os seres, verdade intrínseca da felicidade, sendo esta aqui a minha sugestão sincera e prática.   

 

Felicidade, carinho e amor, Rosana.  

 

 

 

 

Comentários

Deixe seu comentário




Digite o código informado na imagem acima
planetafuturo © Copyright 2000