Menu e Textos Alma das Flores
Banner

Cadastre-se e receba newsletter

    

 

 

Num determinado momento do aqui e agora: a distinção entre o existente na nossa realidade; o possível de existir, caso se faça isto ou aquilo outro; e o inexistente. Saudável percepção, sem ilusões, inverdades e sofrimentos vãos. Uma verdade existencial: a realidade é mutável, impermanente, e depende de inúmeros fatores. O que não pode faltar em um caminho escolhido: amor e amor próprio.

 

  
 


 

 

 

A pedra levada

 

 

Rosana Uchôa

15/08/2012

 


A pedra levada 

 
A paz escreve  

O amor acalma as vestes  

Sem medo desdobra a hora 

O acorde tocou 

Ela compôs sua voz 

Favo de mel 

Perto do coração 

Eleva a bel prazer

 

A paz era rapaz 

Folha levada no rio 

A pedra se foi 

O rio tragou 

Levada a pedra 

Infinito o amor

 

O rio na foz 

A brisa leve 

Suave no rosto 

Deixa ser o você 

Sem restos e fim 

O muito de dentro 

O pouco de fora 

Acalmam as vestes
 


A paz viu o pudor

A paz era rapaz 

O pudor era donzela 

Sacudiu o sorriso na boca 

Já era tempo 

A flor de liz 

Do simples olhar 

Às pegadas na areia 

Sem marcas de andar

Um jeito feliz

 


 
 

E a pedra levada?

 

Se curou no rio, 

Segurou a hidra 

Rolou e riu 

de rir.

 

Foi pra -ia - o mar bem longe.  

 

 

 

Tags: poesia , cura , paz , amor , pudor.

Comentários

Deixe seu comentário




Digite o código informado na imagem acima
planetafuturo © Copyright 2000