Menu e Textos Alma das Flores
Banner

Cadastre-se e receba newsletter

    

 

 

Num determinado momento do aqui e agora: a distinção entre o existente na nossa realidade; o possível de existir, caso se faça isto ou aquilo outro; e o inexistente. Saudável percepção, sem ilusões, inverdades e sofrimentos vãos. Uma verdade existencial: a realidade é mutável, impermanente, e depende de inúmeros fatores. O que não pode faltar em um caminho escolhido: amor e amor próprio.

 

  
 


 

 

 

O Ser interno e o Ser coletivo, uma interação em duas vias

 

 

 

MICROCOSMO E MACROCOSMO:  O SER INTERNO E O SER COLETIVO,  UMA INTERAÇÃO EM DUAS VIAS

 


O MICROCOSMO INDIVIDUAL, O SER INTERNO, E O MACROCOSMO COLETIVO E TRANSPESSOAL, UMA INTERAÇÃO EM DUAS VIAS.

 

 

Rosana Uchôa 

28-11-2012


 

PARTE I    

  

Sabe o desconhecido que vai se desenovelando aos poucos, a cada dia, sem, no entanto, conseguirmos perceber o conjunto completo ou o bem adiante? E o óbvio que tantas vezes a gente não pensa por falta de exercício e prática?  

As pessoas naturalmente se perguntam, e com razão:

- Por que o mundo até hoje está assim tão conturbado, afinal? Posso ajudar (contribuir) de alguma forma?”

- Diante das notícias e também das evidências, parece que ouvimos um sonoro ‘SIM’ e um sonoro ‘NÃO’ de vários ângulos diferentes entre si formando conjunções, sextis (arcos de 60 graus), trígonos (120 graus), quadraturas (90 graus), oposições (180 graus) e até quincúncios, ângulos de 150 graus, utilizados comumente nas mandalas dos mapas astrológicos composta de 360 graus.  Definição de graus: Medida de um arco que corresponde a 1/360 do arco completo da circunferência que estamos medindo.  

Diria que hoje, em especial, a Lua “está ocultando Júpiter”, próxima e unida ao planeta Júpiter, de um modo alternativo, emergente, conforme interpretação pessoal de dados significativos da astronomia. A Lua, satélite da Terra, no céu representa a noite, o nosso inconsciente, a maternidade e o ciclo lunar mensal, a família, a mãe inserida num contexto familiar, e a Mãe de todos, Maria, Nossa Senhora. Filhos somos todos nós, pequenininhos, certamente irmãos na jornada evolutiva, e em desenvolvimento sadio. 

 

  

SATURNO, REGENTE DO SIGNO DE CAPRICÓRNIO, OPOSTO COMPLEMENTAR À LUA, REGENTE DO SIGNO DE CÂNCER

 

No passado, de modo geral, as notícias e pós-reflexões eram veiculadas depois de acontecerem ou estarem ocorrendo no presente. O conteúdo e a qualidade das informações está mudando, segundo o meu entendimento, porque está alterando a abordagem racional na educação, cultura, artes e criação em geral, música, literatura, economia, psicologia, jornalismo, astronomia, política, astrologia, história, antropologia, sociologia, saúde, ciência e tecnologia, espiritualidade e meio ambiente, alguns exemplos, de tal maneira vindo a considerar a natureza (ecologia, ecossistema), a sua organização, e os recursos naturais individuais e do planeta. 

O ser humano atual, em grande medida, transcorre a sua existência numa espécie de versão analógica da necessária medicina alopática, aprendendo também a ser homeopático. O aprendizado agrupa os conhecimentos acumulados, não os nega a priori, a não ser quando se trata de uma inverdade, mesmo assim considerando os erros e as experiências anteriores que conduziram ao acerto e não o dizimaram. O aprendizado compreende a partir dali e depois supera um estágio, indo além. Antes, quando o indivíduo já estava “ferrado”, procurava um médico para curá-lo. Com as dificuldades pessoais e da natureza em curso, além da conjugação multidisciplinar das informações, provenientes das fontes de comunicação as mais diversas e complementares, os remédios paliativos de última hora já não estão funcionando, apenas de uma única maneira, a estabelecida por antigos padrões, e nem vão.   

Porém, isso mobiliza e acelerando o desenvolvimento do campo mental e das mentalidades, do entendimento, dependendo do quanto cada indivíduo se propõe a estes passos no próprio aprendizado, sendo receptivo, por um lado, e ao mesmo tempo preste um serviço, colocando à disposição o próprio saber naquilo que considere necessário abordar. As pessoas fechadas e restritas somente nas próprias ideias perdem, então, a oportunidade de oferecer e de receber o que seja bom em termos de conteúdo, mesmo com erros, necessidades de mudanças embasadas nas transformações internas, e problemáticas comuns à dinâmica de um processo individual. Um grão de areia na rua vai para o bueiro como pó e é levado pelos lixeiros ou pela chuva, mas na praia um pequeno grão que colocamos no dedo, e o devolvemos, é e continua sendo areia de praia no meio do areal, desconsiderando os pisões de mau jeito. Compartilhar, digamos informações, dados, contos e histórias interessantes, boas e construtivas, reais e/ou fictícias, mudam os comportamentos individuais de dentro para fora, considerando a propensão ao bem e o nível de entendimento em escala evolutiva. Três palavras-chave que todo mundo precisa, mas tantas vezes não sabemos como e nem por onde começar ou simplesmente levar adiante, perdidos e tragados por nós mesmos, nossa vida feliz ou problemática, sem o devido auto-conhecimento e interação social, num mar de inconsciências adormecidas: MOTIVAÇÃO, MOBILIZAÇÃO E FOCO.    

A partir da conscientização em termos de obstáculos a serem transpostos e das potencialidades latentes, tal ocorrência transforma positivamente o redor e, na mecânica, fazendo girar engrenagens independentes, aparentemente soltas, desconexas, em correto e adequado funcionamento individual, ligadas umas às outras. Conscientes ou inconscientes da psicologia do encontro, as dificuldades, diferentes para cada pessoa, emergem para serem compreendidas e solucionadas sem novos traumas pesados acumulados de experiências negativas pretéritas de cada indivíduo.  

Normalmente as pessoas se conhecem pela forma como os ambientes e espaços são organizados, mantidos e compartilhados, e assim deve ser e sempre será. PRESERVAÇÃO é uma palavra-chave. RESPEITO. Aqui são palavras escritas num texto reflexivo a respeito da totalidade do ser, e a totalidade planetária bem integrada. Ninguém nos conhece por inteiro. Só Deus e os mestres espirituais. Pessoas comuns como nós, apenas partes de nossa existência e do nosso eu maior. Ninguém conhece o planeta por inteiro. Dispondo de apenas uma parte infinitesimal do conhecimento, ninguém abarca todos os seus ramos. Está certo. Ótimo. Há pessoas que nunca vão nos conhecer e nunca conheceremos de nenhum jeito, graças a Deus também. Há os espaços delimitados, as regras, e também os nossos limites: os adequados, os possíveis, os sensatos, e aqueles a serem superados para bons propósitos e objetivos razoáveis às nossas responsabilidades, considerando os seres e a gama de conhecimentos além de nós. Planeta Saturno: o último visível a olho nu, compreendido entre Júpiter e Urano, sendo o último conhecido pela antiguidade clássica, portanto: O Senhor do Anéis. Saturno é regente do signo de Capricórnio. No corpo está associado à pele, limite do nosso corpo com relação à parte interna, músculos, órgãos, corrente sanguínea, e ao meio ambiente, externo. Saturno  também se refere aos ossos, que nos sustentam em pé. Saturno é Cronos, o Senhor do tempo e do karma.  

- Já pensou o quanto os pensamentos de separatividade e a sensação de separatividade estão introjetados na gente e porque, e o quanto isso compromete o planeta hoje em dia? Qual o limite sutil entre individualidade, independência, privacidade, união, e por outro lado, separatividade, individualismo e egoísmo? Uma das características de Saturno é o medo e o enfrentamento do medo e das resistências de proteção em função dos objetivos. Montanhas, muros e muradas, obstáculos são necessários em determinadas ocasiões e lugares. Nos cabe o discernimento pelo uso da razão frente à realidade, atributo lúcido simbolizado por Saturno.

 

 

 

 

Comentários

Deixe seu comentário




Digite o código informado na imagem acima
planetafuturo © Copyright 2000